GP Fim da Europa

Dificilmente haverá prova mais difícil bonita!

É com muita satisfação que partilho convosco a alegria sentida ao terminar a minha primeira participação no GP Fim da Europa!

Sempre que tenho provas nem me chateia ter de acordar cedo a um Domingo e, se a prova for em Sintra, a vontade de acordar chega a ser superior à vontade de dormir. E esta foi uma manhã maravilhosa!

Eram 7h e estava na rua a passear o meu cão e a imaginar como seria este desafio. Dei por mim a pensar nos últimos treinos/provas e respetivas distâncias e, desde a Meia Maratona, a 17 de Setembro, só por quatro vezes corri mais de 10km:

08/10/2017 - 15,56km
11/11/2017 - 12,20km
02/12/2017 - 16,20km
07/01/2018 - 11,08km

Houve ali outros treinos a rondar os 10km que já é uma distância com a qual não tenho problemas mas poucas vezes a ultrapassei. E isso deixava-me preocupada porque, para além do Fim da Europa ser uma prova de 17km, a altimetria nos primeiros 11km impõe respeito.

Ainda assim, e como já tinha confidenciado a algumas pessoas, nunca coloquei em causa fazer a corrida e fazê-la sempre com um sorriso. Se não conseguisse correr, andava. De uma forma ou de outra tinha a certeza que iria cortar a meta. E assim foi:


Mas nem tudo foi fácil. Eu ainda moro longe de Sintra, saí de casa à pressa e deixei o carro no Cacém onde fiquei de me encontrar com o E. e seguiríamos juntos para Sintra. Foi no caminho Cacém » Sintra que comecei a pensar em por o chip nas sapatilhas e ficaria apenas a faltar colocar o dorsal. Pois foi nesta altura que olhei bem para a forma de colocar o chip (não com a habitual cola mas com buracos) e, qual desenho animado a ver um jogo de Ténis, fitei o olhar durante alguns segundos entre sapatilhas - chip - sapatilhas - chip - sapatilhas - chip... É que as minhas novas Salomon não têm os atacadores habituais! Depois de muito pensar fui salva por uma fitinha de uma boneca da filha do E. que estava no carro:


Depois de resolvida esta questão, de nos encontrarmos com o M. e seguirmos para a zona da partida, pude finalmente cruzar-me com os colegas de blogues com quem habitualmente partilhamos as nossas experiências. Finalmente conheci a Agridoce! Nos últimos tempos cruzamo-nos muitas vezes mas só no Strava porque incrivelmente escolhemos os mesmo sítios para treinar mas a horas diferentes. Desta vez não deixámos escapar a oportunidade para uma troca de palavras. Depois de me despedir dela perdi-me do Pedro e, dando uns passos em frente com o pescoço no ar à procura dele, ouço alguém a chamar-me e... Lá estava o N., Norberto para os amigos (ahahahahah). Cumprimentos, palavras de ânimo e diz ele algo como "Estava aqui a ver se encontrava a emigrante mas não a vejo..." e assim que me viro... Lá estava a Asmática para mais um abraço e inúmeros sorrisos! Ah... Que alegria poder ver as caras e ouvir as vozes destes nossos parceiros de corridas e de escrita! Sem dúvida que estes momentos são tão importantes quanto aqueles em que cruzamos a meta, ambos nos enchem o coração! :)

Não tivemos tempo para grandes aquecimentos e, quando demos por ela, já estávamos na contagem decrescente. Partida anunciada e lá arrancámos para esta aventura. Disse ao Pedro que podia fazer o ritmo dele mas, como sempre, negou-se a deixar-me. Fez a prova sempre ao meu lado (mesmo depois de ter jogado futsal nos três dias anteriores, isto é que são pernas!) e motivou-me constantemente. 

Logo no início perdi a Asmática de vista no meio da multidão onde até estrangeiros corriam alegremente pela vila de Sintra, elogiando as pessoas e a paisagem. A subida da Pena foi muito exigente e, ao contrário do que já havia feito num treino anterior com o M., nos últimos 500m não consegui correr e andei pela primeira vez. Depois desta primeira dificuldade estabelecemos um ritmo certinho e lá fomos. Entretanto olho para o lado e vejo a Mafalda. Gritei por ela, ía com a cabeça em baixo, atravessámos a estrada e fomos com ela não sei bem quanto tempo. Mais à frente deixei de a sentir junto a mim e percebi que tinha ficado para trás (mas não por muito tempo que a miúda é forte que se farta). Ainda vi o meu colega Amorim (que partiu na vaga das 10:15h) passar-me, perguntar se estava bem, desejar-me boa sorte e seguir. Outra parte engraçada foi quando se ouviu a sirene de uma ambulância e, instantaneamente, todos os corredores começaram a encostar-se às laterais à medida que o som se aproximava. Quando estava mesmo próximo de mim olhei para o lado e era um corredor com uma coluna que emitia o som de uma sirene... Não me perguntem o que pensar disto, ainda não formulei opinião. Segui com o Pedro sem parar até à famosa parede do Km 10. Não consegui fazê-la a correr, as minhas pernas já se queixavam e não respondiam ao meu cérebro. Fi-la num caminhar rápido e aproveitei para apreciar a paisagem. No final desta subida olhei para o Pedro e disse-lhe "Parabéns para nós, completámos a prova!"

E assim foi. Dali até à meta foi sempre a descer. Sentia algumas dores nos músculos das pernas e tive de travar um pouco. Olhei para o relógio e percebi que, com algum esforço nos km finais, talvez conseguisse fazer abaixo das 2h Tentei aumentar o ritmo mas já não consegui, terminei com 2:01:22.


Mas terminei feliz, muito feliz! A verdade é que não estava sequer a contar com este tempo tendo em conta o que tenho treinado. Tinha brincado com os meus colegas e dito que era desta que viria na companhia do carro vassoura ahahahah.





No final tirei umas fotos com o Pedro mas foi tudo muito rápido porque ele trabalhava à tarde e não arriscámos ficar muito tempo. Estupidamente não tirei fotos com o pessoal dos blogues, no meio da pressa passou-me completamente. Foi uma grande falha que espero compensar em breve!

Tenho pena que esta prova não tenha medalha, gosto sempre de guardar um pequeno objeto como recordação mas a fome era muita e comi a napolitana! Ahahahahahahah

ADOREI! Para o ano estou lá outra vez certamente para bater este meu tempo.

Bons treinos!

Comentários

  1. Parabéns!!! Gostava muito de um dia fazer esta prova. Quem sabe em 2019.
    **

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bora lá que também te quero conhecer! :) Não vai fazer o Trilho dos Dinossauros?

      Eliminar
  2. Um dia destes tb faço esta ... muitos parabéns!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! É dura mas linda, tens mesmo de a fazer :)

      Eliminar
  3. É uma prova lindíssima! Já a fiz por 6 vezes e já apanhei de tudo, desde bonito dia de sol (que pelas fotos parece também ter sido o caso de domingo) a chuva e por duas vezes nevoeiro cerrado. E se com nevoeiro perdem-se as lindas vistas, ganha-se num ambiente quase místico e enigmático da serra.
    Os 3,5 km iniciais são duros mas fazem-se. Agora aquela parede aos 10... Dói mesmo :)
    Acho piada é que conheço pessoal que ainda não quer fazer Meias mas vai a esta, dizendo que são 17, o que é menos do que uma Meia. Mas esta é mais dura que a esmagadora maioria das Meias :)

    Muitos parabéns pela tua prova! Pela prova e pelo prazer que tiraste.

    Beijinhos e venham mais

    ps - Medalhas deram até 2011 (tenho a de 2010 e 2011). Depois "esgotaram"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso gostava de ter feito a prova com nevoeiro. Já treinei em Sintra em dias de nevoeiro e adoro, é mesmo como tu dizes "ambiente quase místico e enigmático".

      Por acaso eu achei esta prova menos dura que a MM do Porto mas acho que é o factor psicológico. Na altura não sabia o que era aquela distância, agora que já sei assumo que outras provas de dificuldade semelhante são sempre feitas, mais depressa ou mais devagar.

      Obrigada João, a ver se um dia nos cruzamos por lá (e se voltam as medalhas)!

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Eu adoro esta prova, não vale a pena esconder isso! Adorei (re)ver-te não só pela forma espontânea como nos encontrámos mas também porque estavas verdadeiramente feliz, tanto antes como depois da prova. Em relação ao chip, eu rasguei o meu quando estava a atar os atacadores... mas o teu ficou mesmo bem a condizer com os Salomon novos.

    O teu sorriso ao cortar a meta é daquelas coisas que vale mais que mil palavras.
    Lá estaremos novamente para o ano!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh pá adorei o nosso re(encontro). Se fosse combinado não corria tão bem ahahahahah. Estava mesmo feliz, não tinha pressão nenhuma, só vontade de correr, e isso reflete-se no nosso estado de espírito :)

      Não foste o único a rasgar o chip, ouvi várias histórias semelhantes ;)

      Venham mais metas e mais sorrisos!

      Beijinhos

      Eliminar
  5. O quê? Havia napolitanas? Tenho que lá voltar, não meto lá os cotos desde 2015

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quando eu cheguei já estava um calorzinho agradável dentro da tenda, ou seja, o chocolate das napolitanas já não estava frio, estava mesmo no ponto... Maravilha!

      Eliminar
  6. Muitos parabéns! Fizeste uma excelente estreia! :) Ainda bem que gostaste da prova. É mesmo especial e vale bem a pena!

    Gostei muito de, finalmente, te encontrar! Estava difícil! Eheheheh!

    Quanto ao senhor da coluna... Consta que é proibido andar a imitar sirenes. De facto, quando ele passou, eu própria e várias pessoas nos encostámos, por acharmos que era mesmo uma ambulância ou carro da polícia. Acho que é um tremendo disparate. Mas isto sou eu.

    Um beijinho e espero que já estejas recuperada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei! Já calculava que ia acontecer pelo amor que tenho por Sintra e confirmou-se.

      Estava difícil mas desta vez conseguimos! :)

      Pois é, tens razão. Quando ouvi a sirene comecei logo a pensar que alguém à frente se teria sentido mal ou magoado, e podia ser "um dos meus". Afinal era só uma brincadeira... Enfim! Nada disso nos abala!

      Estou recuperada mas ainda não voltei à estrada, conto fazer um treino longo este fim de semana.

      Beijinhos e obrigada!

      Eliminar
  7. Foi tão bom a minha mini visita a Portugal e ainda depois de mil e uma dúvidas em fazer o Fim da Europa, ainda bem que a fiz, soube-me bem lutar por esses (quase) 17km ainda que com pouco treino e mais, foi top ver-vos, parece que são amigos de há anos :)

    Adoro ser a vossa emigrante !!

    E és uma queria em dizer que sou 'forte que se farta', não me sinto de todo assim, mas sabe bem ler isso !

    A prova é linda, concord que o nevoeiro dá todo um aspecto mais mágico à coisa, mas sinceramente, depois de estar em Paris terminar a prova com aquele ceu Azul claro, aquele mar de um Azul forte e todo aquele verde em redor, foi muito mágico para mim e com o maior sorriso do mundo!

    Um dia faremos esta prova sem andar!
    Faltou a medalha, estou de acordo, mas como guardo todos os dorsais de todas as provas já não é mau :)

    Temos que voltar a treinar juntas em Sintra! ^^

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário