Corrida Saúde + Solidária 2017



Inscrevi-me nesta prova juntamente com alguns membros da equipa de running da empresa no dia 8 de Março. Tudo certo: 10k a iniciar às 9:30h de Domingo dia 7 de Maio.

No dia 5 de Abril recebemos a seguinte comunicação:

Lamentamos informar que, por circunstâncias que nos são alheias, fomos obrigados a alterar o horário das provas a decorrer no próximo dia 7 de maio de 2017, passando estas a decorrer durante a tarde.
Esta alteração surge na sequência do recente agendamento da realização do jogo da 32ª jornada da Liga NOS, entre o Sporting Clube de Portugal e o Clube de Futebol Os Belenenses, para as 11h45 do dia 7 de maio de 2017 no Estádio Alvalade XXI, contíguo ao percurso da corrida.

17:00h - Caminhada 4Km Delta
17:30h - Corrida 7Km Magnesium 
17:30h - Corrida 10Km Medicare

Mas que %&#$@ é esta?!

Eu adoro futebol, portanto o que está em causa não é o desporto. Eu sou benfiquista ferrenha mas o que está em causa não é o clube. Eu adoro ser respeitada e aqui nenhum dos atletas inscritos o foi. Mesmo sabendo o Sporting e a Liga de Clubes que a Corrida Saúde + Solidária estava agendada para dia 7 de Maio de manhã, cujo percurso seria entre a Cidade Universitária, o Saldanha e o Campo Grande, e já com muitos inscritos, resolveram menosprezar-nos e agendar um jogo de futebol (que nunca acontece de manhã) exatamente para aquela manhã!!! Fiquei chateada, confesso que fiquei. E fiquei triste porque percebi que muitos daqueles que se estavam a preparar para aquela prova não teriam oportunidade de a realizar devido a um 'detalhe' para muitos mas que pode fazer (e certamente fez) a diferença para outros.

Anyway... De manhã ou de tarde eu estaria lá. E estive.
Naquela altura ainda pouco ligava à minha alimentação. Sou uma pessoa de estrutura e estatura normal, talvez com alguns quilos a mais mas nada que me tire o sono. Portanto, naquele domingo resolvi ir almoçar ao chinês! Comida extra gordurosa porque não sabia se acabava a corrida viva, para morrer que fosse satisfeita. Mas, se bem me lembro, recusei a sobremesa porque não queria assistir a uma explosão do meu estômago em plena Av. da República. 

À hora combinada estava no ponto de encontro, junto à Alameda da Cidade Universitára. A C., que convenci a vir fazer a prova também, disse-me que faria a corrida toda ao meu lado. Ela diz que não mas é uma atleta, nunca desiste e faz tempos espetaculares para quem não se dedica sequer a treinar. 

Foto do Grupo de Running da LeYa

Às 17h começou a caminhada dos 4km e eu comecei a sentir um friozinho na barriga. Liguei o GPS do TomTom, alonguei, pedi à minha irmã (que gentilmente me acompanhou para a sessão fotográfica necessária à minha primeira corrida) que me guardasse o telemóvel e as chaves e fomos para a partida. Nesta altura um dos nossos colegas aproxima-se de mim e da C. e diz-nos "Esta é daquelas provas que tem tão poucos participantes que a probabilidade de acabarmos em último é muito grande." (isto dito por alguém que acabou os 10k em 57:13h).Eh pá aquilo mexeu connosco. Não corríamos nada mas acabar em último seria muito frustrante. Deve ter sido por isso que iniciei a corrida a um ritmo de 6min/km, algo de que me viria a arrepender (sim, para alguns este é um ritmo de passeio mas para mim é igual a voar). Os primeiros 2k fizeram-se bem, sempre na conversa com o pessoal e a convencer alguns que, ainda que inscritos para os 10k, diziam que iriam fazer o trajeto dos 7k porque ao km 2 já se sentiam mortos. Conseguimos fazê-lo com distinção e ninguém mudou de trajetória!

Achava eu que estava à vontade com o percurso uma vez que já tinha treinado por ali algumas vezes quando, lá para o km 3, me deparo com os túneis que ligam o Campo Grande ao Saldanha. Eu treino por terra, senhores! Não estava mentalmente preparada para esta dificuldade extra. O primeiro fez-se, o segundo também, ao terceiro comecei a chamar nomes a mim mesma e a pensar que aquele ritmo dos primeiros quilómetros me estava a tramar naquelas subidas. E são 6 túneis, seis!! Quando chegava ao fim de mais uma subida, tentava repor a respiração e manter o ritmo, respirava fundo e «F****** mais um!?»!

Túneis à parte, o pior aconteceu ao km 6. A dor na anca que vos falei aqui reapareceu. Já tinha sentido um ligeiro desconforto no km anterior mas tentei não me focar nisso, distrair-me com outras coisas (como se durante uma corrida conseguisses pensar em mais do que aquilo que também é uma 'dor de cabeça': tempo, ritmo, dores musculares, respiração, etc.) e segui. Ao km 6 foi impossível abstrair-me da dor. A C. perguntou-me se queria parar mas recusei. Tinha de terminar a prova e, tendo em conta as experiências que fiz em treinos, se parasse nunca mais conseguiria recuperar e terminar em último deixaria de ser uma possibilidade para se tornar na realidade. 

Prossegui com dores cada vez mais intensas e os meus parciais não mentem. Se por um lado ter começado rápido acabou por se revelar uma má escolha quanto à resistência nos túneis, serviu para compensar os últimos quilómetros:

Aquele Km a 4:44min... não me convence! O GPS deve ter falhado debaixo de algum túnel e o tempo oficial confirma a minha suspeita.

A subida da Alameda da Cidade Universitária foi um sacrifício constante e não via a hora de acabar com aquele sofrimento. Nesta altura até a C. já estava impaciente. Disse-lhe, entre sorrisos, para seguir porque conseguia fazer muito melhor do que acompanhar uma coxa. Ela rejeitou o 'convite', acompanhou-me do início ao fim, acelerámos um pouco já junto ao Estádio Universitário e cortámos a meta juntas... Com menos 15 minutos que o último classificado!

Ainda consegui posar para a foto!

Assim que parei as dores intensificaram-se (sim, ainda mais!) e, para terem noção, demorei cerca de 1h a chegar ao carro que tinha deixado estacionado a sensivelmente 1km. Fui praticamente a braços com a minha irmã (obrigada mana por me teres amparado :) ) e, a partir daquele momento, soube que tinha de procurar ajuda especializada se queria continuar a correr.

A experiência foi positiva, claro que sim. Corremos debaixo de muito calor (o que detesto) mas a organização disponibilizou água em pelo menos 4 pontos, o que ajudou bastante a hidratar. No final tinhamos água, fruta e leite com chocolate para recuperar. Só faltou um alimento milagroso que me aliviasse as dores!

Tempo Oficial - 1:09h

Comentários

  1. Mudaram a hora do jogo, pois a Liga, controlada pelo benfica, não estava a gostar de termos muita afluência nos jogos em Alvalade. Mas saiu-lhes o tiro pela culatra, que os adeptos compareceram em massa. O resultado é que foi uma vergonha, mas enfim...

    Os túneis de Entrecampos moem, de facto, mas quanto mais se fizerem, mais planos ficam :)

    Essa dor na anca pode ser calçado inadequado, é mesmo melhor ver isso com um especialista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo o que percebi o agendamento do jogo para a parte da manhã foi um teste para perceber como o mercado internacional reagia, até já havia sido feito o mesmo na época anterior num jogo entre o FCP e o Boavista. E, acredita, não vejo mal nenhum nisso, pelo contrário. Alías, os adeptos do Sporting responderam muitíssimo bem (como em todos os jogos no decorrer desta época, mesmo com a bruxaria do Benfica :P). Mas não posso aceitar que interfiram com outras modalidades e com eventos cuja organização já vai tão avançada.

      Eu quero que os túneis sejam planos mas, aqueles em particular, só os posso fazer em provas. Vou ver se encontro outros por aí ;)

      Quanto à dor, soube entretanto que possivelmente terá a ver com uma diferença no tamanho das pernas que terei de compensar. Descobri quase aos 30 que sou deficiente! :D

      Eliminar
    2. Eu sou adepto dos jogos "â inglesa", com luz natural, também :) Falando a sério e sem clubismos, o atletismo é muito negligenciado em Portugal, mesmo as corridas amadoras :s

      A minha companheira de blog também teve um problema desses e resolveu com palmilhas e fisioterapia no http://www.gfd.pt/

      Eliminar
    3. Com a quantidade de novos amantes de atletismo tenho esperança que esse problema deixa de ser tão evidente.

      Obrigada, vou dar uma vista de olhos :)

      Eliminar
  2. Começando pelo "fim", mesmo quem acaba uma prova em último consegue cortar a meta antes de todos aqueles que ficaram sentados no sofá, portanto essa preocupação é totalmente desnecessária!
    A mudança da hora da prova é um disparate que mostra o quão menosprezadas são as provas do nosso calendário. Só o facto de se ter realizado a uma hora de maior calor é o suficiente para estragar os planos de muitos atletas.
    Quanto à lesão, os colegas que tinham problemas semelhantes corrigiram com palmilhas feitas à medida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "mesmo quem acaba uma prova em último consegue cortar a meta antes de todos aqueles que ficaram sentados no sofá, portanto essa preocupação é totalmente desnecessária!" - Tens toda a razão, N.! Isto eram os meus pensamentos (parvos) de aspirante a aspirante a atleta! :D

      Sim, o calor foi sem dúvida o pior nesta mudança de horário. Efetivamente esta não foi uma atitude correta mas, infelizmente, há pouco que possamos fazer contra futebol.

      Eliminar

Enviar um comentário