Sintra... Oh Sintra!

Miradouro das Sequóias

Não sei bem por onde começar tal é a emoção que ainda trago desta experiência... Talvez pelo início?!

Ontem fui acompanhada pelo M. o W. e o H. No final da semana passada cheguei a ter 7 ou 8 pessoas confirmadas mas, como já é habitual, o entusiasmo aumenta para alguns e perde-se para outros. O tempo que se fez sentir ontem em Lisboa também não ajudou, chegou mesmo a chover. E, como costumamos dizer, se chove em Lisboa, há temporal em Sintra! Sim, é um exagero, mas todos conhecemos o microclima muito próprio daquela serra.

Combinámos sair às 18h em direção a Sintra e começaríamos a corrida no Miradouro de Santa Eufémia em direção ao Miradouro das Sequóias. O M. conhece bem a zona porque anda sempre por lá de bicicleta e tinha o percurso bem delineado. Primeiro problema: a estrada que dava acesso ao Miradouro de Santa Eufémia está encerrada para obras. Passámos ao plano B (definido ali mesmo): subiríamos de carro a Estrada da Pena (parte do trajeto do Fim da Europa) e começaríamos o treino a meio do trajeto entre os Miradouros. Seria um desafio à nossa determinação porque durante o percurso seríamos obrigados a passar no carro e, se o cansaço nas pernas fosse muito, poderíamos cair na tentação de ficar por lá. Digo-vos já que essa hipótese nunca foi colocada. Aliás, penso que passar pelo carro não nos afetou minimamente e que não passou pelo pensamento de nenhum de nós ficar por ali.


Percurso realizado: Santa Eufémia à direita e Sequóias à esquerda.

Com esta alteração tivemos também de decidir qual dos Miradouros visitar primeiro. Optámos pelo de Santa Eufémia porque era, sem dúvida, o trajeto mais difícil e penoso. Lembram-se de comparar algumas subidas em Monsanto a paredes? Essas paredes 'Monsantinas' são para meninos! :P O tal segmento com o nome "Cai para trás" não é inclinado. É uma ladeira íngreme, dificílima, dura, fatigante, extenuante! Enquanto escalava aquela ladeira, num movimento que simulava a corrida mas que na verdade é mais lento que um passeio tranquilo, olhei para o relógio e vi uma velocidade instantânea de 14min/km. Repito: 14!!!

Não tenho fotos dessa subida porque ninguém conseguiu arriscar a deixar cair o telemóvel e ver-se obrigado a descer aquela encosta e subi-la novamente! Mas tenho outras:




Eu sei que alguns de vocês fazem isto com uma perna às costas e admiro-vos imenso por isso, são inspirações! Mas, para mim, isto é MUITO difícil! Há uns meses qualquer pequena subida era motivo para parar a corrida e fazê-la a andar. Ontem não parei em qualquer destas montanhas, mais depressa ou mais devagar fi-las todas sem me queixar. 

Descobri que alguns dos meus colegas enganaram-se na vocação e deviam ter seguido a arte de trepar. Eu era sempre a última mas isso não me deixava menos radiante!

As paisagens ajudam, é tudo fresco, verde, natural. Não há fumo nem poluição. Há vistas cuja beleza em muito ofusca o cansaço, pelo que foi com alegria que passámos pelo carro em direção ao segundo miradouro. O pior já tinha passado, as restantes subidas foram tranquilas (quando comparadas com as primeiras). Podem ver que na segunda metade do percurso os meus tempos foram melhores menos maus, o que me permitiu fazer os 7.7km a um ritmo médio de 8:41min/km (WOW):
A elevação acumulada foi de 260m (os 4 GPS devem estar errados porque às paredes que trepei ia jurar ter feito uma elevação acumulada de, no mínimo, 500m!)

Por aqui fizemos uns trilhos que mais pareciam os bosques do Reino Unido que costumamos ver em alguns filmes: plantação verde vivo, a humidade no ar, o musgo nas rochas, os raios de sol que penetravam a mata. Simplesmente lindo!

Um dos belos trilhos que percorremos sempre com um sorriso :)

Chegados ao segundo miradouro a beleza não deixou nada a desejar. O frio fazia-se sentir assim que parávamos para umas fotos mas aquela vista superava qualquer brisa fresca. Eram umas 20h. As nuvens permitiram que conseguíssemos ter alguma visibilidade para aquela paisagem avassaladora. 


E continuava a sorrir! :D

Posso classificar esta experiência como inesquecível. Não só pela beleza que pude presenciar mas também porque é o resultado de um trabalho árduo da minha parte em não desistir quando as paredes dificuldades surgem, o que me deixa muito orgulhosa! :)

Depois disto o M. ficou mais do que convencido em fazer o Fim da Europa comigo e eu fiquei mais do que feliz em poder contar com ele nessa aventura :)

Se é para repetir? Sintra... Oh Sintra! Vou-te repetir e descobrir, sempre a sorrir!

Comentários

  1. Tão bom :D

    Ainda bem que gostaste! O teu sorriso diz tudo ;)

    Eu fiquei cheia de vontade de lá voltar, confesso!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim que a tua vida acalmar certamente vais lá rolar :)

      Eliminar
  2. Sintra é um mundo!! :D
    Há tanta floresta encantada para explorar por lá!
    Quando tivermos pernas para o Trail a sério logo verás! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conto contigo para isso, sem ti perco-me por lá! :P

      Eliminar
  3. Mais do que qualquer palavra, o sorriso da foto diz tudo do que sentiste no treino e isso é impagável.
    E muitos parabéns por nunca teres andado nas subidas/paredes!
    Força para mais :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada João! Sinto que estou a melhorar a cada dia o que me dá ânimo para o que aí vem! :D

      Eliminar
  4. Sintra é um local mágico, mas melhor que as paisagens só mesmo o teu sorriso de felicidade no final. Pouco interessa se foste mais ou menos rápida, se acabaste com aquela alegria estampada no rosto foi porque valeu a pena.
    Parece-me que em Agosto hei-de ir a Sintra mas em modo de caminhada.
    Está visto que em 2018 também regresso ao Fim da Europa, pronto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava mesmo feliz, adorei! E é realmente verdade, não interessam os tempos quandos conseguimos que uma experiência nos marque positivamente :)

      Bora, quero ver-te lá! :D

      Eliminar

Enviar um comentário