De volta a Monsanto

A cara de quem, chegada ao topo de uma subida, se depara com outra subida!
Keep climbing girl!

Todos nós temos locais especiais para correr, seja por causa do mar, do pôr-do-sol, do amanhecer ou simplesmente porque sim, porque aquele é o nosso percurso, perfeito nas suas imperfeições. 

Monsanto foi o primeiro local onde corri. Como vos falei no Início do início fui acompanhar alguns colegas de trabalho que, pelo menos uma vez por semana, fazem questão de ir até lá 'trilhar'. Não vou mentir: odiei! Estávamos em Dezembro, eu ainda não tinha frontal (nem sabia que isso existia) e corria sempre de noite (com medo de a qualquer momento tropeçar/pisar um animal qualquer), chovia em praticamente todos os treinos, todo o piso era composto por galhos e lama... Mas o pior, sem dúvida o pior: as subidas. E há tantas! Obviamente que podemos optar por percursos mais simples onde a elevação acumulada seja mais reduzida (ou deverei dizer menos elevada?) mas, garanto, não tem a mesma piada :) Lembro-me que se me afastasse um pouco do grupo e, entretanto, encontrasse um cruzamento, não havia dúvida sobre o caminho a seguir: o que subia!

Com o tempo fui-me apercebendo de como é bom correr em Monsanto. O ambiente é único pelo meio que nos envolve. A natureza, o verde, os esquilos, o som dos pássaros, o terreno, o ar puro, os desafios que podemos encontrar a cada corrida. A verdade é que hoje adoro Monsanto e sinto falta de lá ir.

Outra coisa importante em escolher Monsanto para alguns treinos é o desenvolvimento da nossa capacidade cardiovascular. Correr em terreno plano é bom, correr em terreno irregular e com elevações constantes é desafiante para os nossos pulmões. Se é verdade que a primeira vez que lá fui corri 200m (na ciclovia, que não tem inclinação) e o resto foi feito a andar, neste momento já faço praticamente todo o trajeto a correr. Isto porque há excecões quando, por exemplo, me ponho a inventar percursos e percorrer trilhos desconhecidos e, de repente, me deparo com uma parede! Nesses casos tenho de parar para (mentalmente) montar o equipamento de escalada e garantir as condições de segurança necessárias antes de, corajosamente, iniciar aquela subida :)

Outra coisa que adoro em Monsanto é a variedade de percursos. Não gosto particularmente de trajetos com grandes retas, parecem intermináveis. Por exemplo, correr no parque das nações é perfeito para apreciar a paisagem, o rio, a ponte, as pessoas... Mas o percurso à beira rio é um dos que chamo de intermináveis ainda que, de certa forma, compense pela beleza. Por isso é que, por norma, faço metade do trajeto por dentro, junto aos prédios e à alameda, e a outra faço à beira rio. Sou fã de cidade pela possibilidade que nos dá de fazer ruas e ruelas, travessas e jardins, avenidas e pracetas... Quando damos por ela os quilómetros foram passando sem darmos conta. Mas, voltando a Monsanto, assemelha-se em muito a esta versatilidade de percursos da cidade mas com um ambiente bem mais saudável. Há 1001 percursos e caminhos diferentes em cada curva, trilhos prontos a serem descobertos. Não é fácil, obviamente que quando não tenho grande tempo opto por trajetos que já conheço. Mas quando o tempo não é problema não há melhor do que descobrir o pulmão de Lisboa e deixarmo-nos levar pelas belezas que ali se escondem. 

Estou a seguir um plano de treinos para a Meia Maratona que obtive no myasics.com. Este plano, ainda que não seja delineado por nenhum profissional, parece-me estruturado e exequível, no entanto, não contempla mais do que estrada. Mas ontem foi um desses dias em que a saudade de Monsanto bateu mais forte e não pensei muito no que 'é suposto', fui simplesmente ser feliz! Ainda assim fiz a distância que estava planeada (7km) e o ritmo não ficou muito longe do que me era pedido no plano: entre 6:47min/km e 7:17min/km. Na realidade ficou a 1 segundo do máximo permitido!!




Correu bem, muito bem. Optei por fazer o percurso de forma a iniciar pela parte do trajeto mais difícil, a Estrada do Barcal (cerca de 50/60m de elevação). Fi-la a cerca de 8min/km mas sem parar o que é sempre positivo. O resto do percurso foi tranquilo até perceber que alguma coisa não estava bem com o meu pé direito. Presumo que a meia não tenha ficado bem esticada o que me provocou uma pequena ferido na planta do pé. Nada de grave, hoje já não se nota. Mas é sempre um pouco desconfortável na altura. 

Quase a chegar à Serafina, apanhei um grande susto. Ia descontraidamente no meu trilho quando, no meio da minha música, se intromete aquele som de arbustos a mexer muito próximo de nós. Não tive tempo de fazer mais nada a não ser encolher-me. Pensei, e estou a ser sincera, que a qualquer momento fosse sair um animal do meio das árvores ou, pior ainda, um exterminador, violador, ou qualquer outro ser acabado em DOR! Era um ciclista, claro! Que alívio! Ele, simpaticamente, pediu-me desculpa mas se havia alguém sem qualquer culpa era ele, ninguém me manda levar os dois ouvidos tapados. Fica a dica ;) 

Acabei o treino com aquela sensação de dever cumprido e nada arrependida por ter trocado a estrada pelo trail.

Daqui a uns tempos tenciono treinar muito mais vezes em Monsanto porque pretendo fazer a Corrida do Fim da Europa em Janeiro (17km entre Sintra e o Cabo da Roca com cerca de 500m de elevação). Mas esta corrida é muito particular porque temos de cumprir determinadas distâncias num máximo de tempo ou somos desclassificados. Desengane-se quem pensa que pode fazê-la sem treinar a sério. 

Na próxima semana vou pela primeira vez fazer um trail em Sintra. O M. conhece muito bem a zona porque costuma andar por lá de bicicleta mas, desta vez, vai acompanhar-me. Espero conseguir convencer a minha irmã a vir também. É incrível como quando gostamos de alguma coisa queremos mostrar aos outros o que andam a perder. Tencionamos visitar dois miradouros num percurso de mais ou menos 8km. Sabem que mais? Estou ansiosa! :)


Comentários

  1. Deixei um comentário gigante que, aparentemente, não ficou...

    Resumidamente: tenho saudades de Monsanto, o MyAsics é espectacular e também uso, correr com phones é um perigo, vais adorar o Fim da Europa e vemo-nos lá, vais adorar o trail em Sintra e comecei a seguir-te no Strava com o meu perfil de pessoa real.

    Essas dores, já agora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também já te enviei pedido no Strava :)

      Já fizeste o Fim da Europa? Preciso de dicas!! Tenho receio, aquilo deve ser mesmo puxado, mas as vistas e paisagem devem compensar! E sim, vemo-nos lá!

      Sintra ainda não fiz porque tenho medo de me perder, precisava de alguém que conhecesse minimamente e me ajudasse nas primeiras vezes. Mas tendo em conta o que gosto de Monsanto tenho a certeza que Sintra não vai ficar atrás.

      Dores? Nada! :) Os alongamentos andam mesmo a fazer efeito. Sinto assim uma ligeira impressão, um desconforto. Mas nada que se compare às dores horríveis que tinha há umas semanas. A médica quer que comece a fazer fisioterapia, vamos ver.

      Eliminar
    2. Aceite!

      Fiz este ano :) Estava super ansiosa e em pânico mas... Não é assim tão mau! Bom, verdade seja dita que não fiz tudo a correr... A minha preparação na altura não era nenhuma, ainda não andava nos trails, e fui numa de passeio... Mas gostei mesmo muito :)

      Ainda bem! Espero que isso vá ao sítio!

      Eliminar
  2. Gosto muito do Monsanto, mas não costumo lá treinar. Tenho sim boas recordações de todas as provas que já lá fiz.

    O Fim da Europa é uma prova linda! Este ano na subida mais complicada da prova ficámos subitamente rodeados de nevoeiro, naquele micro-clima tradicional de Sintra. A prova é quase toda em estrada e a única semelhança com um trail são mesmo as subidas acentuadas. Não sei do que falas quando dizes que "porque temos de cumprir determinadas distâncias num máximo de tempo ou somos desclassificados". Nunca ouvi falar disso no Fim da Europa. :)

    Apesar de não fazer parte de nenhum plano de treinos, fazer umas corridas em percursos como esse no Monsanto não faz mal nenhum, antes pelo contrário, ajuda em muitos aspectos.

    Diverte-te por Sintra! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Provas em Monsanto também hei de experimentar um dia! Onde costumas treinar?

      Neste momento o site do Fim da Europa está indisponível mas vi no regulamento que os primeiros 5km têm de ser percorridos num máximo de 55min e os primeiros 10km no máximo em 1:50h (posso estar a falhar nos tempos mas tenho a certeza que é mais ou menos isto). E a verdade é que se formos ver os resultados há muita gente desclassificada, pensei que estivesse relacionado com isto. Será que é bluff? :D Vais fazer a próxima também?

      Partilharei convosco a experiência em Sintra! :)

      Eliminar
    2. Não penses nisso... Eu fui em modo super gosmas e fiz perto das duas horas! Tens mais do que tempo (além dos meses que tens até lá para treinar!) ;)

      Eliminar
    3. No Monsanto (em estrada) recomendo a Corrida da Árvore que costuma ser no primeiro domingo de Fevereiro, normalmente na semana a seguir ao Fim da Europa.

      Desconhecia isso - e até costumo ler os regulamentos com atenção - mas como diz a Agridoce, não te preocupes com isso!

      Já fiz o Fim da Europa duas vezes e no fim de ambas disse que não voltava... mas sinto que ainda tenho que lá ir novamente porque adoro Sintra e porque nunca consegui dar o meu melhor lá! Quando abrirem inscrições para 2018 penso nisso. :)

      Eliminar
  3. As minhas poucas incursões por Monsanto em treinos já têm uns anos, mas lembro-me de uma bela manhã de Janeiro, estavam 4ºC e a chover bem, fui mais uns colegas de equipa e foi dos maiores tareões que levei. Houve ali subidas que tive que fazer com os dois pulmões de fora :D

    O Fim da Europa é uma prova linda. Muita calma no início, nos primeiros 4km e respeito na subida do km 10, de resto faz-se muito bem. Apesar de ser completamnete diferente, eu compáro-a à Corrida do 1º de Maio, no sentido em que é uma prova em que a estratégia conta muito. Correr descontraido ajuda muito em ambas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paredes bluesboy, paredes é o que há em alguns locais de Monsanto! Mas aquilo até tem graça, há algumas em que a nossa cara vai quase a tocar no chão :D

      Falam tão bem do Fim da Europa que, por mais difícil que seja, já estou mais do que convencida! Vou tentar fazer o percurso da Corrida do 1º de Maio num dos meus treinos longos de preparação para a Meia para ter uma ideia :)

      Eliminar
    2. Excelente descrição do Fim da Europa. Diz aqui o N. que "Mantenho a ideia que a prova se divide em 3 fases: os primeiros 4kms quase sempre a subir; até aos 11km bastante corríveis onde dá para impor um ritmo agradável, excepto na rampa no quilómetro final; os últimos 6kms sempre a descer até ao Cabo da Roca."

      O 1º de Maio é outra que adoro! :)

      Eliminar

Enviar um comentário